Como chegar a Machu Picchu

by - 10:42:00 PM


Neste post você vai descobrir como chegar a Machu Picchu, o passeio mais cobiçado pelos turistas que vão ao Peru.


Também chamada de cidade perdida dos incas, Machu Picchu é uma cidade pré-colombiana localizada no topo de uma montanha, no vale do rio Urubamba e construída no século XV.
Chama bastante atenção dos exploradores e visitantes do lugar pela arquitetura das construções e conservação de parte da cidade. Machu picchu foi considerado Patrimônio Mundial da UNESCO e, hoje, é um dos lugares mais visitados no mundo por turistas do mundo inteiro.
Aqui está a parte mais aguardada desse post, não é? Agora você vai descobrir como chegar a Machu Picchu e tirar suas dúvidas nesse que é o passeio mais procurado pelos turistas no Peru. Vou contar agora a rota que fizemos. Vamos ao passo a passo?

1º Comprar o pacote turístico: há muitas maneiras de se chegar a Machu Picchu, mas a que optei foi a agência de turismo. Fechamos com a Qori Inka Travel, a mesma agência com a qual fizemos os demais passeios em Cusco. Eles foram ótimos e tiraram todas as nossas dúvidas, que eram muitas. O pacote incluía:

- ingresso no parque
- transporte em van de Cusco até a hidrelétrica e da hidrelétrica a Cusco
- refeição na parada anterior à hidrelétrica
- guia turístico
- pernoite em Águas Calientes

2º Comprar o billhete turístico na Prefeitura de Cusco: não é possível ingressar no parque de Machu Picchu sem o bilhete turístico, que é um ingresso que dá direito a vários passeios em Cusco, incluindo o próprio de Machu Picchu. Ele não estava incluído no pacote e, para comprar o bilhete, basta ir ao prédio da prefeitura de Cusco, que fica na avenida principal da cidade. É bem fácil, basta perguntar ao funcionário na porta do local aonde podemos comprar o ingresso.

3º Transporte de van de Cusco à hidrelétrica: esse é o primeiro trajeto para Machu Picchu e um dos mais difíceis a serem feitos também. Digo isto porque é nele que começa a prova de fogo de resistência a enjôos, zumbidos no ouvido etc. A dica é sempre mastigar a folha de coca, que é liberada no Peru e inclusive indicada aos turistas que não estão acostumados à altitude no país. Também é possível adquirir as soroches pills, os comprimidos que ajudam a evitar o chamado "mal de altitude" e que podem ser comprados nas farmácias da avenida principal de Cusco.
O trajeto do centro de Cusco à hidrelétrica durou cerca de 08h e tem muitas, mas muitas curvas na estrada, então mastigar a folha de coca durante a viagem ajuda bastante.

4º Trilha pela linha do trem da hidrelétrica a Águas Calientes: Antes de chegarmos à hidrelétrica, paramos para almoçar e a refeição já estava incluída no pacote. Seguimos por aproximadamente 01h até chegarmos na hidrelétrica, que é também uma das estações do trem que leva os turistas à cidade de Águas Calientes. Optamos pelo pacote em que teríamos que caminhar da hidrelétrica até a cidade e a caminhada levou em média 03h, no nosso ritmo, que foi leve e regular, sem pressa.

5º Pernoite em Águas Calientes: chegamos de noite na cidade e tivemos que procurar o hotel em que já havia uma reserva para nós, feita pela agência. O hotel era simples e confortável e deu pra descansar bem depois das 03h de caminhada quase ininterruptas. Tivemos que levantar de madrugada para pegarmos o ônibus de Águas Calientes até a entrada de Machu Picchu, mas esse é o próximo passo...

6º Pegar o ônibus de Águas Calientes até a entrada no parque de Machu Picchu: até é possível subir a montanha a pé para chegar na entrada do parque, porém a subida é pesada e cansativa, então mudamos de ideia lá em Águas Calientes e resolvemos comprar a passagem de ônibus até lá. A passagem custou em média 80 soles ida + volta.

7º Finalmente, chegar a Machu Picchu!
Apesar de ser chamado de "parque", Machu Picchu não tem uma infraestrutura de parque turístico que costumamos ver em muitos passeios que fazemos. Na entrada há banheiros e guarda volumes, basicamente só isso, então o que mais dá pra fazer na montanha é conhecer os sítios arqueológicos, apreciar a vista deslumbrante e registrar os momentos também.

Ah, dá pra ver as lhamas e alpacas bem de pertinho, o que é bem legal também, já que não é todo dia que vemos esses bichinhos ao vivo.

Se falarmos do tempo total do passeio de Machu Picchu, podemos dizer que é de dois dias. No entanto, se falarmos somente do passeio na montanha, levamos aproximadamente 03h no parque.

Pesquise bem a maneira que você achar melhor como chegar a Machu Picchu, porque há várias alternativas e é sempre bom escolher a que melhor se encaixa conosco, é claro. Aqui, trouxe a opção que fizemos e nos coube muito bem: achamos um bom preço e que incluía o básico que esperávamos da agência, então buscar a melhor opção é com certeza importante.

Vá para o passeio de Machu Picchu com calçados confortáveis, somente o necessário na mochila (esta é a melhor bagagem a se levar). Isso é muito importante, gente, principalmente se você for fazer a trilha da hidrelétrica, que leva de 02h a 03h de caminhada. Tênis ou botas próprias para trilhas é o ideal.

Leve folhas de coca! São permitidas legalmente no Peru e até indicadas para quem é turista, já que não está acostumado com a altitude e ar rarefeito na região.

Leve água, mas não exagere na ingestão do líquido, isso porque é possível que você fique com vontade de urinar e, se estiver na montanha, não há banheiros, apenas na entrada e na saída do parque. Fora que, com a sensação de inchaço por tanta água na barriga, a gente acaba se sentindo mais cansado ainda.

Leve, também, soro caseiro e lenço de papel. Meu nariz ficou tão ressecado em Ollantaytambo, que começou a sangrar (leia aqui o que aconteceu), então essa prevenção é bem viável.

Fique atento ao local em que você está tirando fotos! Você vai perceber que há alguns trechos do parque em que há um espaço pequeno para poucas pessoas, então ficar atento aonde está pisando e, consequentemente, qual pose você vai fazer, é importantíssimo para não correr o risco de se desequilibrar e sofrer um acidente!

A dica de sempre estar perto de alguém do seu grupo turístico é importante também, ainda mais porque os guias turísticos sempre nos explicam a respeito do lugar quando chegamos em determinado ponto do passeio e, assim, é legal aprender sobre o local em que estamos visitando. Outra questão é que, como Ollantaytambo tem muitos degraus, cada um com um tamanho, a descida é lenta e, assim, cada um desce em seu tempo mesmo, só que isso pode dispersar o grupo lá embaixo, no ponto de encontro. É claro que o grupo só sai com todos presentes, mas é amigável não atrasar o passeio, né?!
Gostei muuito de conhecer Machu Picchu! Foi um destino de viagem que nunca pensei em fazer mas, por ser um pouco mais barato do que outros que eu gostaria de fazer na América do Sul, resolvi ir e não me arrependo, porque foi sensacional!
A experiência de conhecer aquele ambiente em que tantas pessoas viveram de maneira tão inteligente e respeitadora do meio ambiente há tanto tempo atrás é algo fascinante! E a sensação de estar no topo de um dos trechos da gigantesca Cordilheira dos Andes é inesquecível, gente! Ver o sol saindo de trás da montanha e sentir aquele vento refrescante é uma experiência que vou guardar na lembrança!



Amiga Jacque de aventuras pelo Peru.. :)
Há comércio pela trilha: restaurante com banheiro e local para camping também.
Chegada a Águas Calientes
Cidade de Águas Calientes
Local de compra da passagem de ônibus para a entrada do parque
Praça principal da cidade e ponto de encontro dos guias turísticos com os visitantes que vão para o parque.
Praça principal de Águas Calientes
Fila para o ônibus.
Amiga Jacque de aventuras pelo Peru.. :)


E você? Já foi a Machu Picchu? Sim? Então conte aqui pra gente como foi!

Até o próximo post! Eu 

Já viu esses posts?

0 comentários

Dúvidas de viagem? Quer falar de sua experiência de aventura em viagem? Sugestões para o blog? Deixe um comentário aqui! :)

FOLLOW US @ INSTAGRAM