Como chegar à Laguna Humantay, no Peru


A Laguna Humantay é um dos passeios mais desafiadores do Peru e um dos lugares mais lindos pra se ver no país também.


A Laguna Humantay é totalmente influenciada pela altitude peruana: fica a 4.200m de altitude. Localizada no distrito de Mollepara, perto do povoado de Soraypampa, a lagoa fica na rota da trilha de Salkantay, que dá em Machu Piccu, para quem gosta de aventura e topa um super desafio de fazer essa trilha dos incas.

O mais indicado para chegar na Laguna Humantay é contratar o passeio em uma das muitas agências de turismo de Cusco. Eu fiz com a Qori Inka Travel, que fica no centro de Cusco (em uma galeria quase em frente à Municipalidad del Cusco). A agência possui excelente atendimento e o funcionário foi bastante paciente em nos esclarecer as dúvidas que tínhamos, minha amiga e eu, sobre os passeios turísticos que gostaríamos de fazer.
A agência nos buscou em Cusco e levamos aproximadamente de 4h a 06h para chegarmos no início da trilha para a lagoa, de van. Antes de sairmos para o ponto de partida dos grupos de turistas (para início da trilha), paramos em uma espécie de pousada em que os viajantes da trilha de Salkantay param também, para tomarmos café da manhã (que foi beem simples). Na volta, paramos nessa mesma pousada para almoçarmos (o almoço foi mais completo que o café da manhã, embora eu tenha achado bichinhos na lentilha do prato de comida).
Esse passeio é diferente da maioria dos outros do Peru, pois não é um local de sítio arqueológico com estrutura de ruínas de construções incas. Além do desafio de subir a montanha pela trilha, que é aberta, seguindo o caminho da montanha que fica na frente da lagoa, chegar do outro lado do "paredão" da montanha e ver a lagoa é uma coisa inesquecível.
Se você gosta ou se interessa por andar à cavalo, vai se interessar pelo passeio, porque é possível fazer a trilha a cavalo mesmo. Paga-se aproximadamente 70 soles para subir em cima do bichinho e, acredite, dá certo, ele conhece o caminho direitinho.
Chegando na lagoa, os grupos de turistas param para tirar muitas fotos, é claro, além de fazer um lanchinho básico, tomar bastante água e apreciar a paisagem, obviamente. O cenário é de deixar o queixo caído, porque é sensacional e todo o esforço que fazemos para chegar lá vale a pena!
Como estávamos em grupo de turismo, o tempo para visita foi estipulado pela agência, mas percebi que levamos aproximadamente 2h no local, desde nossa chegada. Cada grupo leva um tempo na lagoa, porque o tempo para apreciarmos o lugar vai de cada um mesmo. O indicado é não ficar muito tempo lá principalmente se estiver muito sol, porque a gente se cansa muito pra descer e, debaixo de sol, o trajeto de volta fica mais difícil, é claro.

Aqui está a parte que todo mundo que lê o post gostaria de ver logo. Vamos às dicas para o passeio:

Vá com roupas leves, porém que sejam próprias para trilha em local aberto e com possibilidade de muito sol. Não arrisque ir de bota de couro ou calçados do tipo, porque o terreno é acidentado, então é importante usar sapatos próprios de trilha ou tênis de leve impacto no solado. Também não leve muitos itens na mochila, para não pesar em suas costas, o que dificulta bastante fazer o trajeto.

Leve lanchinhos leves também: barras de cereal, frutas como maçã ou banana, biscoito salgado leve e água, é claro. Se alimentar bem antes e durante o trajeto é fundamental.

Analise o tipo de passeio antes de decidir fazê-lo: se você tem problemas de pressão arterial, cardíaco, fobias que desencadeiam problemas para respirar, síndrome do pânico ou transtorno de ansiedade, não recomendo conhecer a Laguna Humantay. Digo isto após minha experiência de me sentir muito, mas muito mal mesmo na trilha. No início fui bem, embora assim que saímos da van, no acampamento de ponto de partida para a trilha, já senti falta de ar... E só foi piorando, a ponto de eu desistir do trajeto na metade do percurso muita das vezes, até que dois anjos de Deus em forma de gente, duas meninas que faziam o trajeto próximas de mim e que conheci ali, naquele momento de desespero mesmo, me incentivaram muito e não me largaram após eu pedir ajuda por estar me sentindo muito mal e estar sozinha, já que minha amiga decidiu ir de cavalo (e eu, metida a trilheira que não sou, não quir tomar a mesma decisão; talvez devesse). Graças a Deus as meninas e eu conseguimos negociar o aluguel do cavalo daquele ponto do trajeto com a peruana dona dos animais (foi muito difícil, porque ela não queria alugá-los, talvez pelo preço que propusemos, abaixo do valor cobrado no ponto de partida da trilha, é claro, já que estávamos na metade do caminho), pegamos os cavalos e conseguimos subir. Detalhe: eu nun-ca tinha subido em um cavalo em toda a minha vida, então imaginem minha insegurança!

O que senti no trajeto foi tontura, enjôo, sentimento de sufocamento e uma extrema necessidade de sair correndo de lá e voltar pro ponto de partida da trilha. A guia turística, que já estava incluída no pacote da agência, tentou me ajudar, ficando próxima de mim no percurso (até certo ponto, até porque ela precisava dar assistência a outros do grupo também), me oferecendo um líquido que os nativos usavam para ingerir o odor de dentro de uma garrafa com a promessa de que eu conseguiria respirar melhor (não funcionou pra mim) e me orientando a subir no meu ritmo e respirando fundo. O que aconteceu é que eu fiz tudo isso, mas não resolveu. Pedi muito a Deus pra conseguir sair livre desse passeio e graças a Ele, consegui com a ajuda das meninas que comentei.

Separe aproximadamente 70 soles para o aluguel do cavalo, caso você prefira esse meio para subir a montanha ou está com dúvidas se vai conseguir subir a trilha a pé mesmo. E é possível que você não consiga alugar o cavalo depois de começar a subir a montanha, então decida no acampamento de ponto de partida da trilha.

Esse acampamento é bem precário e simples. Tem banheiro, mas muito básico (até tinha papel higiênico, mas foi um homem que me deu, tirando o papel de não sei de onde) e uma espécie de "venda" muito simples também. Ah, e não há vendedores de itens de artesanato lá; é um lugar bem "nativo" e "natural".
Eu gostei muito de fazer o passeio da Laguna Humantay, mas quase que as dificuldades não me deixam dizer que gostei da experiência. O sofrimento foi muito grande, gente, e boa parte disso por conta da altitude, que deve ser levada a sério, de fato. Não subestime as condições climáticas e dos ambientes externos do Peru, pois eles infuenciaram muito os passeios feitos no país, dependendo do passeio.
A experiência foi inesquecível, tanto pela beleza do lugar, quanto pela própria vivência em fazer a trilha, tão inusitada. Recomendo o passeio, mas deve ser feito com muita cautela.


Uma das melhores guias turística do Peru, a Judith! :)
O líquido que a Judith me indicou cheirar.. Que não deu certo.
Meu amiguinho cavalo, que me ajudou também a terminar a trilha ;)
Galera do nosso grupo de passeio, com uma das melhores guias turísticas do Peru! ;)
Dica: cuidado com o estilo da capinha do seu celular.. A minha refletia a luz do sol, como vocês podem ver.
Amiga Jacque de viagens pelo Peru.. <3
As meninas anjos de Deus que subiram a trilha me incentivado a não desistir. Muchas gracias, girls! <3
Ponto de partida e chegada da trilha
Pousada-parada para refeição
Cidade da pousada

E você? Já foi à Laguna Humantay? Sim? Então conte aqui pra gente como foi!

Até o próximo post!

Postar um comentário

Dúvidas de viagem? Quer falar de sua experiência de aventura em viagem? Sugestões para o blog? Deixe um comentário aqui! :)

My Instagram

Designed by OddThemes | Distributed by Blogger Themes