DIÁRIO DE VIAGEM: França

by - 1:02:00 AM


Sim! França! Paris! Um bom destino de viagem, na minha opinião. Confesso que nunca objetivei ir à França (e quando pensava no país, só pensava em Paris mesmo) e não sei dizer se planejaria uma viagem para lá como planejei para outros países que já fui, mas o passeio valeu sim, claro! Mas posso confessar outra coisa? Paris não é minha cidade favorita. Vou explicar isso antes de comentar sobre alguns pontos importantes a respeito de um destino de viagem (como eu fiz no meu post "DIÁRIO DE VIAGEM: Inglaterra").
Eu acredito em identidade e inspiração de determinados lugares. Por exemplo: se você curte uma boa praia com amigos, eu indicaria uma boa praia do Havaí, como eu acho que todas lá são. Provavelmente você vai conseguir unir diversão com a satisfação de poder aproveitar o lugar com pessoas que você gosta de se estar. Agora, se você curte viajar acompanhado e aproveitar lugares que possam colaborar com bons momentos a dois, eu sugiro que você vá para Veneza, por exemplo. Lá, o histórico de boas lembranças românticas que a maioria das pessoas tem ao visitar a cidade, já colabora pra pessoa voltar de viagem com boas recordações, certo? É disso que estou falando. Eu acredito que, para cada país/cidade que a gente conhece, existem situações e características nesses locais que podem colaborar pra que nossa diversão (sozinho ou acompanhado) possa ser melhor. Isso tudo eu disse para explicar que, por mais que eu tenha conseguido ir a Paris (sim, foi mais um presente de Deus que eu recebi), eu acho que essa cidade é muito mais romântica do que divertida. E repito: a viagem foi ótima e explico isso melhor no meu post "Qual é a melhor época da vida para viajar?"
Deixando minha opinião de lado sobre a cidade mais famosa da França, vamos falar agora um pouco sobre alguns temas importantes para você que gostaria de Paris. E vou me ater só a esta cidade simplesmente porque foi a única que conheci quando fui à França, rs.


  • O pacote: Bom, no post "DIÁRIO DE VIAGEM: Inglaterra", você viu que eu não fiz um pacote de viagem digamos, tradicional para ir para à Europa. Consequentemente, para ir à França não fiz o mesmo. Eu fui estudar inglês na Inglaterra e nosso pacote incluía uma visita de dois dias à Paris. Agora, caso você queira fechar um pacote turístico para lá, recomendo que você faça isso com antecedência (é claro) e com certo valor para despesas pessoais (o que varia muito de pessoa para pessoa), por conta do valor do euro, que sinceramente não é barato. Apesar de o valor da moeda ser relativamente baixo, o custo das coisas em Paris é bem alto, então é preciso ir seguro quanto a isso. 

  • A documentação: não é preciso visto para ir à França, a não ser que você planeje ficar mais do que 3 meses no país. Leve sempre documentos que comprovem que você tem vínculos com o Brasil (não, não é uma viagem para os EUA, e não, não é preciso levar documento de compra da sua casa, extrato bancário ou outros documentos do tipo, mas é importante ir prevenido). Então, relaxe e aproveite a viagem! Com fé em Deus e passaporte em mãos, fique tranquilo para passar pela Imigração francesa.

  • As roupas: Bom, depende de qual época do ano você está indo. Parece óbvio, mas não é. A diferença de temperatura é considerável quando a gente está em outro país porque, caso levemos roupas inadequadas à época em que estamos indo, não é garantido que a gente consiga roupas boas, já que isso depende de algumas coisas como, por exemplo, encontrar uma boa loja e, quando eu digo boa, digo barata e que venda roupas de qualidade. Eu fui no início de fevereiro e posso dizer que quase me tornei a personificação de um picolé. Sou carioca, né gente?! Já sinto frio à toa, imaginem em um lugar beirando -12ºC! Fui com roupas térmicas (camisa, calça, touca e luvas), várias blusas, mais de uma calça (meia calça e calça jean mesmo) e coisas do tipo, bem quentinhas. A gente se sente meio que enrolada em edredons, mas é super válido, levando-se em consideração o vento frio que a gente pode encontrar nessa época do ano lá também.

  • A comunicação: Usei os créditos restantes do chip da Lebara, que eu havia comprado junto com o aparelho básico de celular, na Inglaterra. Paguei £10 no chip e consegui falar com minha família no Brasil por uns minutinhos (porque, mudando de país, a tarifação no chip é alterada) com o que restou de créditos para ligações internacionais. É uma excelente opção, porque a tarifa é bem barata (falei bem, inclusive com ligações locais) para ligações internacionais!

Bom, essas são algumas das dicas que eu separei para você que pretende ir à Paris. Tem mais coisas que você sabe e que não estão aqui? Conta pra gente, então! Deixe aqui seu comentário com suas sugestões e experiências de viagem na terra da Torre Eiffel! :)

Até o próximo post!

Já viu esses posts?

0 comentários

FOLLOW US @ INSTAGRAM