Precisamos falar sobre a Black Friday no Brasil

by - novembro 27, 2015

Foto: Huffingtonpost

Como boa brasileira e consumidora que sou, gosto de promoções e em meio à tanta loucura no mercado financeiro e cenário econômico do país, aproveitar descontos em produtos que precisamos comprar é excelente, mas e quando o preço é tão barato, mas tão barato, que chega a nos causar desconfiança? Bom, esse tipo de coisa parece não acontecer muito na Black Friday... Mas nos Estados Unidos. E aqui? Como esse dia de ofertas, descontos, promoções, liquidações de preços e afins funciona? Bom, eu acho que precisamos falar sobre a Black Friday no Brasil.

O termo "black friday" é utilizado nos Estados Unidos para denominar um dia de mega promoções de produtos no mercado. É nacionalmente conhecido como "aquele dia" para se comprar barato e é tão popular no país, que milhares de pessoas vão à porta de lojas na noite anterior ao início do "Dia D" de descontos, criam uma fila considerável sem se importarem nem com o clima frio muita das vezes, só para garantirem que vão sair da loja com o que querem comprar.

“Black Friday” significa “Sexta-feira Negra” em Português e remete-se ao dia seguinte ao feriado do Dia de Ação de Graças, que é oficialmente o dia em que o país, os Estados Unidos, agradece por tudo o que tem recebido. A ironia talvez esteja no fato de que milhares de pessoas param para agradecer por bênçãos alcançadas em um dia, mas compram produtos loucamente no dia seguinte. Fé versus consumismo, vai entender.
Voltando ao evento da Black Friday, há quem afirme que esse “movimento” começou na Filadélfia, no início dos anos 90, onde os policiais chamavam de “sexta-feira negra” o dia pós feriado de Ação de Graças, devido ao movimento atípico na cidade por conta da “abertura de compras” de natal. Há quem diga que o dia de promoções acabou sendo relacionado à crise econômica dos Estados Unidos no ano de 1869, outros falam que existiam dois períodos de compra, identificados por duas cores, o vermelho e o preto. O primeiro representava poucas vendas e, o segundo (que se iniciava logo após o feriado do Dia de Ação de Graças e ia até o final do ano), muitas vendas.

Como bom país subdesenvolvido e sonhador com o progresso que somos, resolvemos adotar a Black Friday no Brasil em 2010, exatamente um dia após o Dia de Ação de Graças que, apesar de não ser feriado nacional por aqui, a meu ver não deixa de ser um dia importante. De lá pra cá, percebo que o mercado vem investindo bastante no marketing da Black Friday no país, tanto que a gente já vê propaganda de lojas antes mesmo da data do evento, principalmente pela internet que, aliás, foi o maior veículo de divulgação da implantação do dia de ofertas no Brasil (inclusive a primeira Black Friday brasileira foi totalmente online). Mas será mesmo que vale a pena comprar na Black Friday no Brasil? Existe oferta de verdade por aqui nesse dia? Quais as vantagens de compra? Como está sendo o retorno do consumidor? Acho que precisamos conversar sobre essas coisas.

A mais significativa Black Friday que eu conheço ocorre em Nova York, quando milhares de pessoas se degladiam atrás de promoções de diversos produtos. Eu vejo um consumismo doido nesse dia por lá, vejo as pessoas deixando de lado o senso da educação para partirem pra cima de itens em liquidação, vejo caixas e mais caixas de produtos sendo carregadas por muita gente, vejo lojas lotadas de pessoas desesperadas por descontos, mas também vejo que tudo isso, de alguma forma (e veja bem, estou dizendo de “alguma forma” e não “completamente”), vale a pena. Percebo que lá os descontos são reais, as promoções não tem pegadinhas e o índice de reclamação não é absurdo. Na Terra do Tio Sam a Black Friday é levada à sério pois foi de lá mesmo que esse dia de compras surgiu. Outro ponto a levar-se em conta é que, enquanto país desenvolvido, os Estados Unidos não arriscam determinadas situações do mercado varejista com possibilidade de prejuízo futuro, além do fato de que os vendedores das grandes lojas já planejam suas vendas, ofertas e descontos para o dia da Black Friday sabendo que o retorno vai ser positivo.

E isso tudo não acontece aqui? Não dessa maneira. Penso que precisamos aprender muito sobre compra e venda no nosso país, principalmente levando em consideração que, para o mercado econômico, quem determina os lucros são os consumidores, já que sem eles não há rotatividade de lucros, não há mercado. Vejo que no Brasil a iniciativa da maioria das lojas é mais “chamar clientes” (e, aí, a verdade dos preços não está em jogo) e não consquistá-los com preços realmente baixos, para se garantir o lucro. Em outras palavras, percebo que, no Brasil, grande parte das lojas só se preocupam com o retorno do marketing e não com o retorno das vendas em si. Se colar, colou; se o cliente vem por causa da propaganda e caba comprando alguma coisa, ok. Mas acho que é uma estratégia boba, porque o retorno dos lucros seria bem maior se os descontos fossem realmente consideráveis, o que não acontece na maioria das lojas envolvidas nesse dia.

Falando dos descontos, o que eu percebo é que os comentários de reclamações e dúvidas de entrega dos produtos (já que boa parte das compras é feita online) são bem maiores do que os comentários de satisfação nas compras. A maioria das lojas mascaram os preços no intuito de chamar clientes e são poucas as que liberam descontos de fato. É nessa hora que precisamos avaliar bem o que é oferta do que é simplesmente reprodução de preço normal. Separei algumas dicas para quem pretende comprar pela internet na Black Friday no Brasil e, é claro, em compras relacionadas à viagem, como roupas térmicas, malas, eletrônicos, pacotes de viagem etc. São apenas sugestões minhas e, caso você tenha outras, é só comentar no final do post, ok?

Analise o histórico de preços do produto: Há sites que apresentam o histórico dos preços dos produtos, o que nos facilita bastante quando estamos prestes a comprar e estamos avaliando se realmente vale a pena aquele preço ou não. Já vi gráfico de altos e baixos do preço do produto de acordo com os meses anteriores e achei a iniciativa muito boa. Claro, nesse caso é preciso confiar nesse estudo de preços que o site está fazendo, o que significa que não é toda página online que é fiel à apresentar a oscilação dos preços do produto e, desta forma, fazer esse estudo em um site conhecido e confiável é fundamental. Minha dica é o Buscapé, que mostra esse gráfico ao final da lista de lojas que vendem o produto. Já fiz a análise por mim mesma de oscilação de preço de determinado produto e percebi que o site apresentou basicamente a mesma coisa no gráfico.


Avalie a reputação da loja: Hoje em dia, com tanta fraude em compras online, já existem diversas ferramentas para analisarmos a reputação das lojas e penso que isto é fundamental no ato de uma compra, inclusive porque nossa tendência é ir para os preços e não para a integridade do vendedor. Minha dica é acessar o site Reclame Aqui, onde encontramos o registro de reclamações de consumidores de milhares de estabelecimentos comerciais e, assim, é possível termos uma noção de quão confiável a loja é ou não.


Verifique o prazo de entrega: No ápice da compra, quando nossa tendência é aproveitar logo a oferta, pode acontecer de não prestarmos atenção nos detalhes das informações do produto ou até mesmo no prazo de entrega do mesmo. Fiz uma busca básica para compra de um item e encontrei uma loja que permite a retirada do produto em sua loja física, mas havia várias regras para esse procedimento. O prazo de entrega realmente constava na tela de compra, mas essas regras de retirada física só apareciam se clicássemos em um botão, digamos, sutil da tela. O prazo, às vezes, é fundamental para nós devido à urgência de utilização do produto e isso requer atenção aos detalhes na compra e, mesmo que você não tenha tanta pressa assim em usar o que você comprou, fique atento às regras de entrega que a loja estipula, principalmente nos valores e datas.


Compare preços em outras lojas: Há diversos sites que fazem esse serviço pra gente, mas eu prefiro procurar por mim mesma à vezes. A praticidade de pesquisa de preços em um único site é muito boa, mas analisar detalhes em cada loja que nos interessa para compra do produto por vezes é mais eficaz, mas isso vai de cada um mesmo. Para comparação de preços, sugiro não somente o Buscapé como Zoom também, que são sites conhecidos e que geralmente não alteram os valores dos produtos entre suas páginas e a página da loja. Uma dica importante que eu posso dar é que, caso você opte por pesquisar por si mesmo, pesquise somente em lojas que você conhece ou que recebeu indicações de alguém de confiança, claro. Não se deixe levar pelo bom preço, pois isso pode comprometer toda a compra.


Compare as marcas: Hoje em dia há tanta competitividade no mercado, que para um único produto nós encontramos dezenas de marcas diferentes, o que não é ruim para o consumidor, já que isso nos dá opções de escolha, mas é perigoso no quesito qualidade do item. As famosas “marcas genéricas” oferecem o mesmo produto com menor preço simplesmente porque reproduzem o original, mas com qualidade inferior e isso todo mundo já sabe então, para não cair no golpe da compra furada, compare as marcas do produto que você pretende comprar. Essa comparação pode ser feita tanto com a análise de amigos que já compraram o produto quanto pelos comentários dos consumidores no site da loja de compra. Como eu gosto de ler esses comentários! Nos ajudam bastante nos casos de dúvidas de funcionalidades do produto, confiabilidade da loja e qualidade do item também, não acha?


Enjoy a Black Friday: Não é porque existe reclamação que a gente não pode aproveitar a Black Friday no Brasil e não é porque muito provavelmente esse dia de promoções funcione bem melhor em outro país que não vamos acreditar que é possível comprar barato aqui. Todo mundo gosta de pagar menos em um item que está precisando comprar, então é válido checar os critérios necessários para compras na Black Friday, sim. Há lojas sérias e de confiança que aderiram a esse evento no mercado, além de preços que valem a pena mesmo comprar, então eu penso que, com tempo e paciência, é possível aproveitarmos bem a Black Friday brasileira. E, se você já comprou nessa data algum produto relacionado à viagem e aprovou sua compra, conte aqui pra gente como foi e quais as suas dicas! Compartilhando informações a chance de comprarmos certo na Black Friday é maior, não é?


Para maiores informações sobre os produtos disponíveis nesse dia de ofertas, acesse aqui o site oficial da Black Friday no Brasil.

Até o próximo post!

Já viu esses posts?

0 comentários